Materias

Como CODA utilizou centenas de cadeiras plásticas brancas para construir um pavilhão reciclável


Como CODA utilizou centenas de cadeiras plásticas brancas para construir um pavilhão reciclável

Neste exercício excepcionalmente imaginativo e estimulante sobre mudanças de percepção, CODA, baseado em Ithaca e Brooklyn, transformou centenas de cadeiras plásticas simples em um projeto no Arts Quad da Universidade de Cornell. Visto de longe como uma entidade singular espetada, um olhar mais de perto revela o módulo repetido simples e despretensioso. CODA explica que "as características do objeto não são mais compreendidas em termos de uso (pernas, braços, assento), mas em termos de forma (espigas, curvas, vazios), pois, devido à sua rotação do solo, elas perdem a relação com o corpo humano". Pedimos a Caroline O'Donnell, diretora do CODA, para explicar os desafios enfrentados no desenvolvimento e construção do totalmente reciclável URCHIN.

Quais foram os principais materiais utilizados no projeto?

Cadeiras plásticas brancas (polipropileno).

Em termos de materiais, quais foram suas maiores fontes de inspiração e influência ao selecionar do que o projeto acabaria sendo feito?

Estávamos interessados em usar um objeto do cotidiano para brincar com a percepção do objeto. De longe, o conjunto aparece como um objeto desenhado singular (e peludo). Ao se aproximar, o espectador percebe que a unidade de agregação é um objeto familiar: uma cadeira comum na qual eles já sentaram antes.

Descreva como as decisões de material foram incorporadas ao conceito de design.

Era importante não danificar as cadeiras para que elas fossem reutilizadas depois que o pavilhão fosse desmontado. Precisávamos fazer incisões mínimas, permitindo que a curva do pavilhão global estivesse em constante mudança. Também precisávamos que as conexões fossem o mais invisíveis possíveis para que o foco das atenções permanecesse nas cadeiras. Após muitos testes, nós resolvemos usar hastes com roscas de comprimentos únicos conectadas por parafusos a partir de pequenas incisões (piercings de orelha) na cadeira.

Quais foram as vantagens que esses materiais ofereceram na construção do projeto?

Não há vantagens reais em usar cadeiras em termos de construção, é claro. O objetivo é fazer com que as pessoas pensem sobre os objetos do dia-a-dia: de onde vem essas cadeiras? De onde vem o material? Pode ser reciclado? Como estou lidando com minhas próprias práticas de reciclagem? Os pensamentos vão em duas direções: uma em relação à reciclagem e à pegada ecológica, e outra em repensar a cadeira como um belo objeto... o caminho da luz através dele, a curva da parte de trás, o aspecto espetado amigável das pernas viradas para cima...

Houve algum desafio que vocês enfrentaram por causa da seleção do material?

Muitos! As cadeiras são classificadas estruturalmente, mas apenas considerando seu uso numa posição habitual, não tendo as cargas nas direções que tínhamos. Isso foi muito difícil de calcular. Nós modelamos a instalação digitalmente, fizemos simulações e comparamos os resultados. Uma vez que essas cadeiras são próprias para uso em ambientes externos, elas não possuem classificação contra incêndio, o que era exigido pela cidade para obter permissão de construção.

Você considerou outros materiais possíveis para o projeto, e se sim, como isso mudaria o design?

Nós analisamos vários tipos diferentes de cadeira, mas, em última análise, o custo e a onipresença desta cadeira se destacou. Alguém me perguntou depois de uma palestra se não seria melhor construir isso de um material padrão como madeira compensada. Eles não entenderam. Seria, naturalmente, mais fácil construir com um material conhecido, mas o objetivo do projeto é aquele momento de realização, um estalo na realidade, quando o objeto se torna aparente e uma cadeia de outros pensamentos acontecem. Não é necessariamente fácil o que fazemos, mas não é para ser fácil. É feito para fazer você pensar.

Como você pesquisou e selecionou fornecedores ou construtores para os materiais usados em seu projeto?

Nós tentamos comprar em atacado dos fabricantes, assim como conseguir as cadeiras por doação. Eventualmente a melhor opção foi comprar cadeiras com desconto da loja Home Depot. Todas as cadeiras tem conexões únicas (hastes com roscas) que foram modeladas no Grasshopper, e instaladas por nossa equipe. As cadeiras foram montadas na vertical, em forma de "C", ao longo de algumas semanas num ambiente interno, e então, levadas para o local final e instaladas em conjunto (36 colunas em forma de "C") em dois dias.

Créditos: www.archdaily.com.br

Clique nas imagens para ampliá-las.